Pesquisar este blog

Se fosse naquela noite

 Se fosse naquele dia, 

meu álibi seria 

que eu estava em casa aquela noite,

o vizinho da frente é testemunha,

ele acenou para mim através da vidraça,

Eu estava em casa morrendo

e vivendo vidas que existem apenas em minha cabeça. 


Se fosse hoje,

 meu álibi seria 

que eu passei a noite ao som de um Blues, 

o vizinho da frente pode confirmar.


Eu estava em casa todo aquela madrugada,

vivendo toda a verdade de ser eu,

nunca existi tão intensamente,

nunca fui tão consistente quanto naquela noite.


Naquela noite 

Aconteceu um crime de amor passional,

um crise de ciume,

mas eu estava em casa ouvindo um Blues...

eu estou tão revolvido em ser eu

que jamais me deixaria ser levado por uma crise de ciume.

Isso não prova nada!

Mas o vizinho da frente pode confirmar

a luz apagada, o som do blues, a luz do cigarro aceso, 

a silhueta  de um homem sentado  numa poltrona, 

O vizinho pode confirmar a minha silhueta 

 que se vê daquele lado da rua 

Nunes 



Unidade de som

 O corpo é música,

 uma unidade múltipla de sons.

A música é uma unidade

 múltipla de vibrações.


O som é um mar infinito,

é impossível uma partícula de som,

o som nasce da vibração da matéria,

é impossível vibrar em unidade 

o som nasce do contato

e da dualidade que há no contato.


É impossível não existir som,

a vida é som, a morte é som,

da morte surge a vida 

da vida surge a morte

e o som está  em todas as coisas.


O som é infinito e uma unidade múltipla

 que se estende infinitamente. 


Nunes 

  

O som da criação

 O som existe  silencioso na matéria,

o tempo e o som existem na matéria.

A matéria é a condensação do som, do tempo e da matéria 

que existem em tudo que existe. 


O nada é o som,

e o som é o nada e o tudo

porque tudo surgiu de uma partícula de som,

e nada existi antes do som.


O som é a infinita expansão e condensação da matéria. 

O som é a própria criação.

Tudo que está em processo de criação possui o som da criação. 

Nunes  


Uma matéria de som

 A música se compõe de som,

o silêncio se compõe de som,

se nada existisse existiria o som

o som é a primeira matéria que compõe o universo.


O espaço é o universo que se expande,

dentro do espaço que expande não existe vácuo,

porque o som é a matéria essência de tudo que existe.


Se nada existisse tudo viria a existir

porque o nada é a condensação de tudo

que existe ou que pode um dia vir a existir,

o nada é o som de si mesmo.


O som existe feito matéria infinitamente condensada ou expandida,

Se nada existisse existiria uma partícula de som

que se expandiria  infinitamente feito uma parede 

que existe enquanto se cria e cria espaço.


O universo é o espaço que expande e se cria enquanto expande 

feito uma parede, uma corda  de violão que se move e cria o som

e o som está na matéria e no espaço. 


Se uma nova partícula do som e do nada

surgisse como ocorreu na origem de tudo,

e expandisse sobre essa realidade já criada,

essa realidade não seria essa realidade espelhada.  

Se nada existisse existiria um partícula condensada de som.

O som existiria se nada existisse

e nada existia antes do som

porque o som existe por si só. 

O nada não existe, o vácuo não existe

porque o som existe é e a primeira matéria que compõe o universo. 


Tudo vai a essa unidade e tudo retorna a essa unidade, o som.

Tudo mais surgiu por desdobramentos mecânicos, instintivos, inconscientes, conscientes.

E tudo ficou abaixo das leis que regem a criação

Para que nada do que foi criado se perca.   

Nunes