Pesquisar este blog

sábado, 10 de abril de 2021

Rumo ao Sol

 



RUMO AO SOL

Posso te aceitar do jeito que você é,

mas não tende me mudar

para ser segundo o seu modo de ver a vida,

e segundo a sua verdade de grupo e muito particular.

Eu sei mudar segundo minha própria vontade,

o que eu mais sei fazer é ir embora,

é esquecer, é evaporar é morrer.

Por falar em morte,

o que morreu ontem já está fedendo hoje,

é os vermes já começaram o trabalho.


Não coloco minha vida em qualquer coisa,

em qualquer estrada...

Se vier comigo fique sabendo que vamos até o fim da estrada.

Coloquei minha vida nesse trilho rumo ao Sol,

rumo a cratera do vulcão.

Não olho para trás e para o rastro de coisas mortas na estrada,

esse caminho é o único que vale apena 

colocar a minha vida, derramar o meu suor e sangue.

Quem anda por essa estrada 

olha para esses desvios do caminho

e percebe o relativismo e o nivelamento que está em todos os tempos

e em todos os caminhos que não seja esse rumo ao Sol. 

Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHAR