Pesquisar este blog

sábado, 23 de março de 2019

A mim nada foi pedido

A poesia que escrevo
É  tão insignificante
Quanto a minha pessoa
A poesia que escrevo
Ora é poeira da estrada,
Ora paisagem da estrada.

Ser poeira e paisagem
Na poesia que escrevo
Depende do caminho
Que construo enquanto
Caminho no ar.

Sou muito leve porque a mim
Nada foi pedido eu comprado,
Estou mais livre que filho único
De pai rico.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHAR